Ceará: Menina Benigna será beatificada em 24 de outubro

Andressa Collet - Vatican News

A comunidade de Santana do Cariri, no Ceará, assim como de toda a diocese de Crato, está em festa com o anúncio oficial da nova data de beatificação de Benigna Cardoso. A coletiva de imprensa de segunda-feira (2) para divulgar a notícia confirmada pela Congregação para as Causas dos Santos, que também reuniu autoridades civis e religiosos, foi transmitida em telão montado na Igreja Matriz de Sra. Sant’Ana. O anúncio foi feito por dom Magnus Henrique, bispo diocesano de Crato.

Beatificação em 24 de outubro

Benigna Cardoso, considerada a “heroína da castidade”, será beatificada em 24 de outubro deste ano, em celebração presidida pelo cardeal Marcello Semeraro, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, na Praça da Catedral de Nossa Senhora da Penha, em Crato. O dia, de grande valor simbólico pois faz memória ao martírio da Serva de Deus em 1941, foi confirmado em resposta do cardeal a uma carta de dom Magnus enviada no final de fevereiro, com a proposta de três datas para a beatificação. A resposta chegou à diocese de Crato em 28 de abril, apresentando a data de 24 de outubro para a beatificação. 

“Com alegria e júbilo anunciamos a beatificação da Menina Benigna, martirizada em nossa diocese”, disse o bispo diocesano na coletiva de imprensa, já que ela será a primeira beata nascida no Ceará e a quarta mártir do Brasil. A promulgação do decreto, no qual o Papa Francisco autoriza a beatificação, data de 2 de outubro de 2019. A beatificação, que faz parte do processo para torná-la uma santa para a Igreja Católica, deveria ter acontecido ainda em 2020, mas foi adiada devido à pandemia da Covid-19.

A história da Menina Benigna

Benigna Cardoso nasceu em Santana do Cariri, no Ceará, em 1928. Em 1941, aos 13 anos de idade, ela foi assassinada com golpes de facão dados por Raul Alves, após recusar ter relações sexuais com o criminoso. Após a morte, a Menina Benigna passou a ser venerada como mártir na Região do Cariri e virou símbolo da resistência contra o feminicídio e a violência sexual contra crianças e adolescentes.

O Padre Wesley Barros, coordenador da Comissão Diocesana para a Beatificação, conversou com o Vatican News sobre o anúncio da beatificação da virgem e mártir do Ceará e falou sobre a coroação dos esforços de 12 anos, desde que foi iniciado o processo para reconhecimento do martírio: a nova e definitiva data também "é um elemento de evangelização", já que a história de Benigna é um impulso a mais na ação evangelizadora da Igreja diocesana, confirmou ele.

 
Indique a um amigo