Filipinas. Natal, um tempo para ouvir, dialogar, caminhar juntos e rezar

No Natal, o "Deus-conosco" caminha com seu povo. A festa da Encarnação é um "memorando da sinodalidade" e nos lembra "a presença de Deus ao nosso lado e sua caminhada conosco".

Foi o que disse o bispo de Kalookan e presidente da Conferência Episcopal das Filipinas, dom Pablo Virgilio David, no início da tradicional "Novena de Natal", celebrada com profunda fé e devoção pelos fiéis filipinos, em todo o país, com a Missa nas primeiras horas da manhã de 15 de dezembro, antes de ir para o trabalho.

No início da tradicional "Simbang Gabi" (que significa "missa noturna", como é chamada a prática devocional da Novena), o bispo quis convidar a comunidade dos batizados a "caminhar juntos, unidos em Jesus, como fizeram seus discípulos".

Fortalecer a comunhão na Igreja e a participação na missão

"O Natal tem realmente a ver com Deus quem vem e está ao nosso lado, em nossa viagem na vida, para que aprendamos a viajar uns com os outros, em caridade uns para com os outros", enfatizou ele.

O tema "caminhar juntos" é central para a Novena que prepara para o Natal de 2022 em todas as igrejas filipinas, que estão aproveitando a oportunidade para fortalecer "a comunhão dentro da Igreja e a participação na missão: nosso sonho é uma Igreja missionária em cada palavra, pensamento, gesto", disse o presidente dos bispos filipinos.

Como reconheceu o bispo Mylo Hubert Vergara, que lidera a comunidade Pasig, "a mensagem central da sinodalidade, isto é, o estar unido como Povo de Deus no caminho para o Reino, é sempre um desafio para todos nós. É por isso que a escuta, o diálogo e a humildade na relação com nosso próximo são importantes", lembrou ele.

Cristo nos ensina que uma vida em diálogo é possível

Neste espírito, a Novena de Natal também é vivida no sul das Filipinas, na ilha de Mindanao: "Cristo nos ensina que uma vida em diálogo é possível. Estou ciente de que o processo de diálogo e abandono de preconceitos em relação a pessoas diferentes de mim vai continuar. Não importa quanto tempo levará. O que é importante é o processo, a transformação pessoal que está ocorrendo em minha vida", observa padre Hermes Larry B. Sabud, dos Padres Maristas em Davao, na ilha de Mindanao.

Caminhando com os irmãos muçulmanos, em paz e harmonia

"Mindanao - observa o missionário - é formada por pessoas de diferentes culturas, religiões e tradições. Nesta realidade, estou convencido de que nós, religiosos Maristas, somos chamados a viver e contribuir para um clima e uma prática de diálogo interreligioso e intercultural. Com o Natal, destacamos nosso profundo relacionamento com Deus, com nosso próximo e com a Criação. Fazemos isso aproximando-nos de nossos irmãos e irmãs muçulmanos. Caminhando com eles, em paz e harmonia. Isto também é sinodalidade".

Uma forma de comunhão espiritual e de partilha entre os fiéis

A prática espiritual da "Simbang Gabi" tem raízes muito antigas e remonta ao tempo do domínio espanhol sobre as Filipinas, quando os trabalhadores braçais locais iam para os campos antes do amanhecer. Em 1669, os missionários espanhóis começaram a celebrar a missa matinal para eles, antes do início dos trabalhos. Este costume natalino, transmitido ao longo dos séculos e que se tornou uma forma de comunhão espiritual e de partilha prática entre os fiéis, tornou-se uma característica distintiva da comunidade católica filipina.

(com Fides)

 
Indique a um amigo