JMJ 2023 Lisboa, esperando os jovens brasileiros

Silvonei José – Aparecida – Vatican News

O Comitê Local da Jornada Mundial da Juventude 2023 (COL), coordenado pelo presidente da Fundação da JMJ, bispo auxiliar de Lisboa, Portugal, dom Américo Aguiar, marcou presença na 59ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil (AG CNBB) com um stand. O intuito é impulsionar a participação dos jovens brasileiros e da Igreja do Brasil com o apoio dos bispos brasileiros.

O membro do COL e consagrado da Comunidade Shalom, residente em Portugal, José Carlos Pasternak, explica que a presença mais esperada no evento em seu país é a da juventude brasileira.

Segundo ele, em razão do mesmo idioma, da história que une os dois países e do sonho de muitos jovens brasileiros em conhecer Portugal e o santuário de Nossa Senhora Fátima, devoção expressiva do povo brasileiro.

“Viemos ao Brasil para incentivar e encorajar os jovens brasileiros a irem massivamente para a JMJ 2023. Estamos aqui na 59ª Assembleia para garantir que estamos prontos para acolher e contar com a presença dos senhores bispos e das juventudes das suas respectivas dioceses, arquidioceses e prelazias”, disse.

Para superar as dificuldades financeiras dos jovens brasileiros, agravadas pela pandemia, Pasternak sugere a busca de meios alternativos para que isso não se torne um impedimento para a participação na JMJ. Ele defendeu que a falta de dinheiro não pode colocar um ponto final nos sonhos da juventude e impedir a sua experiência na Jornada.

“Viemos falar aos bispos, encorajá-los e dizer-lhes que não estão sozinhos e que, como superamos vários desafios para essa jornada, também os incentivamos a superar os desafios para levar os seus jovens a Portugal”, defende.

Uma jornada da diversidade

Os representantes do Comitê Local disseram que o caráter de interculturalidade está favorecendo a articulação com o maior número possível de diversidade juvenil, contemplando todas as classes, nações, religiões e línguas.

O jornalista português do Gabinete de Comunicação da JMJ, Paulo Rocha, contou que um diálogo de dom Américo Aguiar com o diretor executivo da Educafro Brasil, frei David dos Santos, assegurará a participação de jovens quilombolas e indígenas na Jornada com a ajuda do Fundo de Solidariedade da JMJ. Também os jovens da Fazenda da Esperança de Guaratinguetá (SP) estarão presentes, com hospedagem a ser custeada pela Fazenda da Esperança de Portugal.

O jovem português, Pedro Ary, membro do Comitê Local da Jornada Mundial da Juventude responsável pelo diálogo com as Conferências Episcopais, disse que a organização prevê a participação da juventude migrante e refugiada, embora seja um desafio muito grande.

Segundo o membro Comitê Local da Jornada Mundial da Juventude 2023 Ary responsável pelo diálogo com as conferências episcopais é ter ao menos um representante de todos os países do mundo. “A primeira etapa importante da JMJ é todos saberem que são convidados”, disse. O Comitê da Jornada está trabalhando para evitar problemas com visto, como aconteceu na jornada da Cracóvia.

A jovem portuguesa, Beatriz Gonçalves, responsável pelos peregrinos do Brasil na JMJ, falou sobre suas expectativas em relação à participação dos jovens brasileiros.

“Estamos há mais ou menos um ano em contato com Irmã Valéria Leal, da Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB, e esperamos reunir em Portugal o máximo de jovens brasileiros. Espero que venham, que se integrem bem e façam uma linda experiência com Jesus”, disse.

Intercâmbio cultural e religioso

Outro elemento importante da JMJ será a oportunidade de os jovens conhecerem novas culturas. Os peregrinos terão a possibilidade de conhecer a cultura portuguesa, a religiosidade, a gastronomia e o Santuário de Fátima.

Sobre o tema escolhido pelo Papa Francisco para a Jornada 2022, “Maria levantou-se e partiu apressadamente” (Lc 1, 39), Pedro Ary destaca que o exemplo da Mãe Maria inspira os jovens ao seguimento. “Queremos seguir, levantarmo-nos e ir apressadamente levar Jesus aos outros”, disse.

O encontro do Papa Francisco, suas homilias, os encontros espontâneos, as convivências entre os jovens e os festivais da juventude são algumas das atividades que marcarão a JMJ2023.

Fonte: CNBB, Rosa Maria

 
Indique a um amigo