Semana Ecumênica de Oração:

A Semana de Oração é celebrada pelos cristãos de todas as denominações ao redor do mundo com inúmeros cultos e encontros de 18 a 25 de janeiro. No domingo à noite foi realizado um culto ecumênico de oração em Roma para lançar a Semana de Oração. Entrevista com o pastor luterano Michael Jonas

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos é comemorada desde 1908 e é organizada conjuntamente pelo Dicastério para a Promoção da Unidade dos Cristãos e pelo Conselho Mundial de Igrejas. O tema litúrgico internacional para a Semana de Oração deste ano foi desenvolvido por cristãos dos Estados Unidos: "Façam o bem! Busquem a justiça"! (Isaías 1, 17). Concentra-se na luta contra o racismo e na dificuldade dos grupos marginalizados. A cerimônia de abertura na igreja luterana no coração de Roma contou com a presença de representantes das igrejas protestante e católica. Em entrevista, o pastor luterano Michael Jonas, explicou ao Vatican News que “a particularidade deste ano é somos cada vez mais convidados, não apenas por órgãos oficiais como o Dicastério para Unidade dos Cristãos do Vaticano ou a Diocese de Roma, mas também por algumas paróquias romanas que agora sabem: existe esta Semana da Unidade, existe a Igreja Protestante, e por isso querem entrar em contato conosco".

A unidade já está se realizando

"E eu tenho mais convites nas igrejas paroquiais do que posso atender", acrescentou o pastor luterano. Na celebração da noite de domingo, que contou com a presença, entre outros, do cura da paróquia católica de língua alemã de Santa Maria dell'Anima, Konrad Bestle, e do reitor do Germanicum, padre Gernot Wisser SJ, foi recordado também o Papa Bento XVI, que faleceu há poucos dias. O Padre Jonas comentou ainda: "Estamos naturalmente honrados como Igreja Luterana em Roma que Bento XVI, mas também os outros papas, nos tenham visitado. E Bento simplesmente conseguiu enfatizar o que já é ecumenicamente possível. Em outras palavras, para nos concentrarmos no que podemos fazer juntos. E isto já acontece muito bem rezando juntos, cantando juntos e escutando juntos a Palavra de Deus. E sou grato por termos permissão para nos movermos nestas áreas e também tenho a sensação de que a unidade já esteja se realizando".

Quando Bento XVI nos visitou

Muitos "frequentemente" se fixam apenas na Eucaristia, na Ceia do Senhor. Trata-se de um desafio "que nós também devemos enfrentar e que é importante", porém, “é permitido nos alegrar com o que nos é permitido fazer", afirma ainda o pastor Jonas. "E ouvimos isso de Bento XVI há doze anos, durante sua última visita". Também a paz e a unidade entre os cristãos foram o tema da celebração do domingo. "Esta é também uma preocupação”, continua, “devemos lutar pela unidade e pela paz entre os cristãos. Eu fiquei muito chocado, e ainda estou, pela guerra entre os cristãos em plena Europa. De qualquer modo, o ecumenismo deveria nos fazer manter nossas fronteiras abertas e fluidas, saber que temos tradições diferentes e admitir isso para nós mesmos”. É importante saber que não podemos viver sozinhos, precisamos uns dos outros, acrescenta o pastor luterano. "E enquanto mantivermos esses limites fluidos e observarmos os outros, pelo menos é mais difícil para nós endurecer e até entrar em guerra". Por fim recorda que “especialmente no Ocidente, é importante agir juntos contra a crise de secularização pela qual passamos" e unir "o nosso testemunho e as nossas forças".

 
Indique a um amigo